top of page

Palavra da Presidente

O mês de novembro de 2022 foi de otimismo para o setor de alimentos. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) demonstraram que, após um ciclo de três meses de deflação, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou alta de 0,59% em outubro, sendo que a maior influência geral no índice veio pelo grupo “Alimentação e Bebidas” (+ 0,72%).

Perspectivas para a economia brasileira foram apresentadas em novo boletim Focus/Bacen, do Banco Central do Brasil, de 14 de novembro de 2022. No relatório, o IPCA foi projetado para 5,82% ao término de 2022 (alta) e 4,94% ao final de 2023 (manutenção). Já o Produto Interno Bruto (PIB) deve crescer 2,77% este ano (alta) e 0,7% no próximo (manutenção).

Outra notícia positiva foi a improcedência da ação que o Ministério Público do Trabalho moveu contra o Sincabima que pleiteava a suspensão da cláusula 33ª da nossa Convenção Coletiva de Trabalho, referente ao salário mínimo do aprendiz.

Por outro lado, nada é tão bom que não possa piorar. O Governo do Estado do Paraná criou o Projeto de Lei nº 494 e 498, que visam o aumento da alíquota do ICMS para bebidas alcoólicas e não alcoólicas, e a criação do Fundo de Desenvolvimento da Infraestrutura Logística do Estado do Paraná – FDI/PR, que exigirá o pagamento de contribuições dos produtores de milho, soja, cana-de-açúcar, mandioca, trigo, bovinos, suínos e frangos, onerando todo setor agroindustrial do Paraná. O Projeto de Lei tem como objetivo diminuir as perdas de arrecadação da redução do ICMS para energia elétrica, serviços de telefonia e combustíveis. Tendo em vista que essa logística de impostos enfraquece a competitividade e o desenvolvimento econômico das nossas industrias e a relevância do impacto para toda a sociedade paranaense, a FIEP enviou um oficio para a ALEP dia 28 de novembro onde o Sincabima foi um dos signatários.

Destacamos, ainda, nesta edição a história de mais duas importantes empresas associadas: Romanha e Barion. Por fim, não poderia deixar de compartilhar o registro de Indicação Geográfica (IG) para a bala de banana que a cidade de Antonina, no litoral do Paraná, recebeu recentemente. O reconhecimento, que entra na categoria de Indicação de Procedência (IP) servirá de grande visibilidade para o comércio e turismo local. Parabéns para a nossa associada Balas de Banana Antonina por fazer parte dessa grande conquista. E que venham muitas outras para todas as indústrias da nossa base.

Boa leitura!

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page